sexta-feira, 6 de maio de 2011

OS ESTRANGEIRISMOS DA LÍNGUA

O deputado Raul Carrion, do partido PC do B, está querendo lançar moda. Contrariando ao que se viu em 500 anos de Brasil, nos vemos frente a uma lei, de autoria do ilustríssimo, que visa acabar com os termos coloquiais em língua estrangeira no Rio Grande do Sul, buscando primordialmente, proteger o consumidor que, segundo ele, merece o oferecimento de produtos na língua pátria. O assunto é polêmico, inclusive tendo sido alvo de críticas de diversos segmentos da sociedade, além de colegas do deputado que viram na lei mais de 300 inconstitucionalidades.

A grosso modo, fico pasmo como os nossos representantes ficam preocupados com a proteção de direitos secundários ao invés de se direcionarem ao que realmente interessa. Sem medo de ser ignorante, sabe o que eu gostaria de ver? A lei que termina com a miséria no Rio Grande do Sul, a lei que estimula os pequenos empresários a se desenvolverem ao ponto das empresas estrangeiras não terem tanto domínio em nosso estado e, não poderia esquecer, a lei que proíbe times de fora ganharem da dupla grenal em nossos estádios (ESSA É A MAIS URGENTE!).

A verdade é que o deputado busca impor implacáveis restrições ao comércio já estabelecido, que se baseia em estrangeirismos, fato que prejudicará muitos vendedores. Aliás, como modificar essa circunstância em um país que vive de estrangeirismos desde o seu descobrimento? É comum vermos jovens vestidos de "gaúchos"? Não, o que vemos são camisas, calças e tênis com os dizeres em inglês, por vezes outras línguas e escancarando marcas estrangeiras. No vestuário gaúcho prepondera o estilo "ocidental". Eu, por exemplo, visto roupas que dizem o básico para ilutrar o tecido: West Coast, Wanted ou The biggest penis in the world, até pelo fato de não encontrar muitas prensas com referências do Brasil sil sil.

 Mas falei isso apenas para ilustrar minha tese. A legislação combate principalmente propagandas, mídia e documentos oficiais, o que me faz lembrar que tudo que é baseado em entretenimento e consumo tem um toque dos nosso amigos do exterior: cinema, música e comércio! entre outros. A simples tradução dos termos desvalorizará diversas marcas e garanto, as pessoas deixarão de comprar.

Sugiro ao deputado que faça o seguinte: construa uma máquina do tempo e evite a manipulação que sofremos ao longo de nossa existência como país frente as nações européias, cujos efeitos sentimos até os dias atuais. Aí sim a lei terá uma sobrevida para manter-se em pé. Enquanto isso, se algum diabético tiver dúvidas sobre palavras em língua estrangeira, abra a boca e pergunte ao vendedor para descobrir que é melhor consumir alimentos diet. Simples assim.


Obs: a lei já foi aprovada, só falta ser regulamentada. Mas isso não quer dizer, necessariamente, algo definitivo. Enquanto isso, aproveite para fazer uma "hora feliz" no "Pepsi no estágio".



FUIIIIIIIIIIIIIIII

2 comentários:

Lokobeer disse...

hehehehehhehe
Vou partir para o "computador de mesa", e dentro do ambiente "janelas", clicar duas vezes no ícone do programa "palavra". Mas antes disso, já que estou com fome, vou pedir um "queijo" do cavanhas. Não sei se peço um "queijo" coração ou um "queijo toicinho defumado". Pra beber, vou pegar um guaraná "dieta". De sobremesa, que sabe um "leite batido" de baunilha.
It's funny.

luz disse...

É isso aí Lokobeer. Eu, vou fazer o seguinte:
Vou amanhã lá na Calçada da Fama , fazer uma "hora feliz" ( happy hour ),no Bar, "Clube do Choque" ( Clash Club ) e vou vestir o meu "Conjunto de Gêmeos" ( um Twin-Set ),sobre as minhas calças "pernas" ( calças Legging )e para finalizar tudo isso , vou calçar os meus belos "peep toe" ( sapato de salto alto ,aberto na ponta );Posso calçar também os meus "Scarpin"( sapato de salto médio , todo fechado ). Que tal hein? Acho que vou convidar o "Rauzito" para ir junto................