quarta-feira, 29 de junho de 2011

ENIGMA TEMPORAL

Um bebê é abandonado em um orfanato no ano de 1986. Cresce sem saber quem são seus pais e recebe o nome de Marcus. Quatorze anos depois, em 2001, ele conhece e se apaixona por uma mulher, tendo um filho em 2005. Todavia, devido a complicações no parto, ela morre, fazendo com que Marcus fique decepcionado com a vida. Desgostoso, ele entra em um bar decidido a beber até se esquecer de tudo. O barman, atento ao estado do cliente, senta para conversar e faz uma proposta: ser voluntário em uma experiência de deslocamento temporal, se tornando um viajante do tempo. Marcus aceita, mas teria sua memória apagada para que seus próprios sentimentos não interferissem em suas missões. Devido a seu novo "emprego", seu filho é levado e deixado em um orfanato, em 1986. Em 2015, após dez anos de treinamento, recebe sua primeira missão: retornar a 2005, se fantasiar de barman, e recrutar jovens desacreditados para o experimento da viagem temporal.

Essa é a história. Existe uma inconsistência clara, a qual as pessoas dificilmente vão notar. Quem é Marcus? Um paradoxo temporal? Um conjunto de elementos incrivelmente coincidentes? Pessoas diferentes?

QUEM SE ARRISCA?

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O CORAÇÃO DE DOM PEDRO

Um homem detestável, mas um líder obstinado. É assim que vejo Dom Pedro I, o imperador de dois mundos. Após a leitura do livro 1822, do escritor Laurentino Gomes, essas idéias vieram com mais força em minha cabeça. Devemos a quem a criação de nosso país? A um grito ampliado por um status heróico que jamais aconteceu ou a simples circunstância da época que, inspirada em ideais iluministas, pedia liberdade as nações no mundo? Não sei exatamente, mas vou me firmar ao sentimento patriótico.

Dom Pedro foi muitas coisas:
1) Mulherengo insaciável que não via limites a fidelidade. Especula-se que pode ter dado vida a 120 filhos bastardos.

2) Um imperador liberal em termos de direitos civis, mas autoritário em termos de discussões políticas. Era implacável contra a oposição da época, perseguindo-a, constrangendo-a e, se necessário fosse, impondo a força do exército nacional de modo a "moldar" idéias. Apesar disso, deu vazão a uma constituição liberalista que foi a mais duradoura da história do Brasil, tendo o mesmo sido feito, posteriormente, em Portugal.

3) Um herói de dois mundos. Nove anos após o grito do Ipiranga o imperador ainda se envolveria em mais uma grande batalha: seus ideais monárquicos constitucionais entrariam em conflito contra seu irmão absolutista, Dom Miguel, em Portugal. A batalha foi vencida tendo tomado como símbolo da resistência a cidade do Porto. Lá, como último desejo do imperador, reside conservado seu coração, como uma simbologia. Seu corpo, todavia, está sepultado em um monumento a beira do riacho Ipiranga, após o translado continental em 1972.

Para quem se interessar, o coração do imperador é avaliado a cada dez anos para a análise do estado de conservação. Na última, uma equipe portuguesa captou algumas imagens do principal órgão de um homem que resistiu a tirania e deu a um povo combalido... esperança!

Obs: o vídeo não é forte, mas não recomendo que quem tiver estômago fraco o assista. É apenas um coração, porém descolorido pela ação do tempo. Façam jus ao bom senso na hora da decisão!



quarta-feira, 22 de junho de 2011

ACADEMIA

Há algumas semanas comecei a academia. Deve estar dando certo, pois hoje, após acordar, abri a porta do meu quarto e a maçaneta veio junto. Já estou me sentindo super forte e imenso, mas meu treinador disse que é impressão. Demora mais que isso.

Eu queria ficar que nem o Schwarzenegger no Exterminador do Futuro 2. Intrépido desejo, teria que me dedicar muito a isso. É o que vejo alguns gorilas fazendo por lá, levantando pesos exagerados e gemendo como se estivessem sendo violados por trás. Fica feio, mas se eles buscam o corpo perfeito... vai ver até trabalham nessa área. Na verdade, musculação é um mal necessário. Tudo bem que a gente vai, sai da rotina do dia, mas chega uma hora que fica uma repetição chata. Não estou nesse estágio ainda, mas já passei por isso anteriormente, em outras oportunidades.

Na academia sempre há um duelo de egos. Não é incomum avaliar assim, pois as pessoas estão lá justamente para entrarem em forma, prolongarem sua saúde e se sentirem bonitas. Até eu já fui atingido por essa dinâmica. De vez em quando chegam algumas mulheres com coxas mais grossas que as minhas e que utilizam-se de pesos maiores. O que eu faço? A adrenalina sai mais fácil e aumento razoavelmente os meus. Sacanagem pô, eu não posso perder para uma menina!

Hoje saí dolorido com a ampliação das séries. É uma dor boa, uma resposta do corpo lhe dizendo: "não tomei viagra, mas estou crescendo". Tudo é resultado de esforço, inclusive moldar a alcatra. De vez em quando aparece por lá uma maminha, algum coxão de dentro mas, principalmente, a bordinha de catupiry. Dá para se servir sem receio nessa churrascaria humana não canibal. Carne para dar e vender sendo impiedosamente queimada. Bom pra quem faz!

Qualquer hora escrevo sobre os resultados. Estou apenas no início.

Era isso por hoje, FUIIIIIIIIIIIII

terça-feira, 21 de junho de 2011

[IMAGEM DO DIA] - A APOTEOSE DE WASHINGTON

Apo: tornar-se
Theos: Deus

O principal líder na construção da primeira república da história. Para os maçons, contrutores do Capitólio, local onde a pintura se encontra, George Washington era o Jesus americano, cercado de anjos, 13 belas donzelas, e pronto para garantir sua entrada no paraíso.


Quer saber mais? Leia o livro "O Símbolo Perdido" de Dan Brown. Recomendo.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

INGLATERRA HERMANA

Certa vez fiz uma noite na casa dos meus amigos. Eis que ligamos a tv e lá estava passando um determinado programa das madrugadas gaúchas, que envolve mulheres fisicamente abençoadas vestindo roupas mínimas. Maravilha, fazemos o de praxe e colocamos no mute, de modo que apenas a imagem da tela aparecesse. Aí o programa fica bom. Aliás, o folhetim tem um grau hipnótico muito grande, pois a cada close nos peitos siliconados da dançarinas no fundo do palco, qualquer resistência mental é espatifada. Testosterona, que poder você tem!

O programa atende a todos os públicos. Para os homens menos abonados, uma simples alternativa de Pit Stop e troca de óleo na madrugada. Para as mulheres, uma olhar sobre as tendências, cabelos, maquiagem e bla bla bla.

Mas isso não vai me levar ao assunto que quero chegar. Não tenho provas, não tenho vídeos, e nem qualquer áudio: vocês terão que confiar na minha lembrança para acreditar no que digo. Certa vez as apresentadoras faziam um complexo jogo de adivinhação. Não lembro EXATAMENTE das dicas, mas lembro que estavam na cara, eram algo como: sou um país, sou vizinho do Brasil, tive um presidente chamado Perón, sou famoso pelo futebol, entre outras. Eis que uma das apresentadoras, sua identidade será preservada, mas uma loira (e não é preconceito de minha parte), pensa um pouco e um espasmo de QI cogita: "INGLATERRA???????????". Na hora nao acreditei, o ar fugiu dos meus pulmões e quase sujei minhas cuecas de tanto rir. É claro, o riso também tinha um tom de lamentação por ver tal burrice na televisão.

Acreditem, isso aconteceu. Aliás... se algum leitor partilhar da mesma lembrança, por favor, se manifeste!

FUIIIIIIIIIII


Obs: na minha lembrança esse "Inglaterra" ganhou um eco. Inglaterra, terra, terra, terra, rra, ra, a. Por que será?

sexta-feira, 17 de junho de 2011

USS ARIZONA

Na onda de sucesso que o Blog tem feito sobre naufrágios, hoje mais um. Se você quiser comprar um submarino e dar uma viajada pelo oceano Pacífico, vai encontrar um espetáculo de metal destroçado, resultante das terríveis batalhas entre Japão e Estados Unidos na segunda grande guerra. Mas neste embate, houve um confronto que se tornou um dos mais céleres. Aquele que foi taxado na época, pelo então presidente Franklin Delano Rooselvelt, como o "dia da Infâmia" na história da humanidade: Pearl Harbor.

Na manhã de  7 de dezembro de 1941, cerca de 300 aviões japoneses invadiram o Havaí para o ataque que lançaria os EUA na guerra e mudaria os rumos da história mundial. O alvo, a maior frota de navios que o planeta já havia visto. Os habitantes de Pearl Harbor acordaram para vivenciar um dia de sangue e um dos grandes atentados que os norte americanos viriam a sofrer na era contemporânea, que posteriormente seria completado pelo World Trade Center.

O resultado? Extrema vitória do japas. A frota americana inteira destruída, diversas perdas civis, e o abatimento de apenas 25 aviões japoneses. 25 de 300... dá para chamar tal plano de absoluto sucesso.

Quase 70 anos depois, a região do ataque ainda atrai as atenções e desenvolve grande potencial turístico. Mais impressionante é que, na curta profundidade da baía, um dos encouraçados se negou a afundar totalmente, protagonizando uma imagem bela e triste ao mesmo tempo. Trata-se do USS Arizona, o maior navio da frota, inapelavelmente abatido por uma chuva de torpedos. O gigante está adormecido, mas ainda faz questão de demonstrar sua imponência.







Acima do navio foi erguido um memorial em homenagem as vítimas. Até hoje compartimentos exalam filetes de óleo, nada que não seja controlado. 

Mesmo semanas após o ataque, ainda ouviam-se batidas advindas do interior do navio. Pela profundidade e falta de tecnologia, os marinheiros jamais puderam ser resgatados. Considere-se que havia forte blindagem, ou seja, não era só levar qualquer martelinho para quebrar o metal. Muito triste, mas todas as guerras carregam episódios desse tipo. Guerrear foi uma síndrome dos anjos na batalha do céu, legado herdado pelos homens.

Era isso por hoje! FUIIIIIIIIIIII

quarta-feira, 15 de junho de 2011

SOL ENTRE NUVENS

Recentemente li um livro sobre os Vikings. Povo fantástico: guerreiro, trabalhador e inserido na benção de diversos deuses esquecidos pelo tempo e pelas crenças. Me desculpem, me passei, esquecidos nada, afinal, o deus do martelo migrou das histórias nórdicas e se transformou em um dos heróis mais conceituados da Marvel: Thor. Este, eu afirmo com toda a certeza, não foi criado por Stan Lee.

Thor ocuparia a posição que atualmente é de Jesus, filho de Deus, ou de Odin, se preferir. Ele era o senhor do destino, partícipe das grandes histórias de batalhas nórdicas. Seus feitos traziam orgulho e causavam frio na espinha de qualquer  soldado portador da acha de arma.

Felizmente, eu vivo em um prédio com vista para o horizonte final  porto alegrense = o pôr do sol do guaíba. Muitas vezes belo, sozinho, incólume e, de vez em quando, acompanhado por diversas nuvens que suprimem seus raios e dão um dos espetáculos mais bonitos que a natureza pode oferecer. Os vikings acreditavam que os filetes de sol entre as nuvens eram o Martelo do Deus do Trovão os guiando em suas viagens. Razão de bons presságios.

Aprenda com o Blog. No dia que você verificar imagem parecida, saiba que Thor está lá em cima prezando por você!


Ou está aqui na Terra protagonizando um filme fraco e indo pra cima da mulherada em Hollywood...

FUIIIIIIII

terça-feira, 14 de junho de 2011

[PERSONALIDADE DO DIA] - JOHN WILKES BOOTH

O covarde que matou o presidente Lincoln pelas costas. Sempre existem teorias da conspiração: máfia, opositores, etc, mas a história oficial permaneceu essa.


E a recompensa pelo assassino:

segunda-feira, 13 de junho de 2011

ENCONTRO MALDITO

(Baseado em fatos reais)

Gel, desodorante e o aparelhamento da barba. Seguiu o protocolo básico da sedução. Seria hoje! Combinou um encontro ontem mesmo, por telefone. Poucas palavras, mas suficientes. A quebra do porquinho finalmente faria sentido, afinal, não é todo dia que se leva uma mulher a um restaurante caro.

Ele estava cansado de relações vazias. Sempre sair, beber até o sangue ser substituído pelo álcool e dançar até fissurar as pernas. Era hora de um caso um pouquinho mais profundo, onde o fim buscado não seria a simples fusão dos corpos, mas sim uma paixonite aguda. De vez em quando os sentimentos se confundem, o corpo vira uma guerra de sensações e hormônios. Dessa vez, haveria um novo lado vencedor.

Ela não teria como lhe negar. Já haviam acontecido alguns selinhos na brincadeira da garrafa. Uma pena, um curto tempo para aproveitar um espaço de lábios carnudos com gosto de morango. O maior problema não eram suas próprias ações, mas a tímidez da menina. Impressionava. Nosso protagonista a imaginava com a princesa no alto do castelo cercada por soldados prontos a sacrificar suas vidas. Pensava em alternativas, enfrentar todos ou simplesmente comprar uma asa delta? Escolher entre o que é fácil ou o que é longo? SEMPRE O QUE É MAIS FÁCIL! SEMPRE.

O ato da conquista é problemático. O ponto primordial é a difícil separação das amigas, muitas, escudos protetores regidos por um alto grau de lealdade. Havia conseguido suprir tal dificuldade. Que noite do pijama que nada, aquela garota havia se perdido do rebanho. Chegando ao restaurante, um halls na boca. Primário, o mau hálito reduz a média e faz o pretendente pegar recuperação. Uma ajeitadinha no cabeça e BOOOOOOOOOM,  explode uma nova pessoa. Sua entrada pelo pórtico é triunfal, andando com o estilo e pompa de artista de cinema e balançando a chave em sinal de desprezo aos reles mortais. Uma noite para ser lembrada, pensou. A gata não escaparia da sua arapuca de sedução.

E aí? Aí cai o mundo. Não teria por que escrever a história se algo surpreendente não tivesse acontecido. Ele estava lá. Estava sempre junto do potencial casal, incomodando, atrasando, suprimindo, todos os verbos que protelam a relação com uma mulher. Os olhos de nosso herói ficaram vermelhos. As narinas? Bufando de raiva. Não mexa com um homem apaixonado pois, sem pestanejar, pode ser ativado o art. 121 do código penal: homicídio. O que nosso protagonista fez? explodiu, aumentando a voz e chamando a atenção de todos no salão, vergonha que seria comedida posteriormente pela satisfação pessoal.

"FILHO DA P***, SEMPRE TU PRA ESTRAGAR, EU QUERO QUE TU MORRA, SEU DESGRAÇADO!" Mais ou menos isso...

O encontro estava terminado. Totalmente plausível, afinal, nem todas as mulheres gostam que ofendam suas mães. Em seu ato de fúria, nosso herói havia esquecido que se tratava do irmão da garota, sempre presente, sempre importunando, sempre um mala, apesar de ser seu amigo.

Moral da história:  O relacionamento? Jamais aconteceria. A amizade? Ficaria seriamente prejudicada. E a honra do rapaz? ALIVIADA! Exploda com responsabilidade, mas exploda. Não deixe lhe afligirem, pois como diria Rocky Balboa: "o mundo é um lugar ruim e vai levar você ao chão. Mas não é quão duro você bate, é o quanto você apanha e permanece, o quanto você apanha e segue em frente. É assim que a vitória acontece".

sexta-feira, 10 de junho de 2011

VIDEOZINHO RELAX PARA RIR

Uma virose me abateu ao longo dos últimos dias. Minha recuperação impediu a concentração necessária para a pauta de sexta... então, hoje apenas um videozinho para dar algumas risadas. Segunda feira o blog volta com a carga toda. BOM FINAL DE SEMANA!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

A ESPADA NA ROCHA

Da idade das trevas até os tempos contemporâneos. O homem divide sua história de modo a estabelecer marcos ou, simplesmente, deflagrar para a posterioridade os seus erros. Nascemos, crescemos e às vezes não há sentido, uma conspiração de detalhes que nos transformam em quem somos. Isto se denota em nossas origens. Europeus, índios, africanos, entre outras modalidades de povos, fizeram a transição do mundo até encontrarmos, nos tempos atuais, uma uniformidade e gradativa redução das diferenças. Feitas essas considerações, hoje voltaremos a Idade Média.

Galgano acorda em Chiusdino, atual província de Siena, na Itália. Um cavaleiro nobre, rico e arrogante, como todo o homem medieval era. Não se sabe sobre sua infância, mas como todo o garoto envolto em riqueza, provavelmente, muitos estudos e formação desde cedo no exército. Tal formação viria a se confirmar com sua entrada na cavalaria da região, defensora dos preceitos católicos. Seus pais? Guido e Dionísia, pessoas influentes e doutrinadoras, além de, é claro, serem dotados de um extremo conservadorismo.

Seu pai morre, o maior inspirador. Sua vida muda drasticamente começando pelo ataque de forças místicas. Em uma certa viagem, acredita-se que para seu casamento com uma pretendente da região, uma mensagem dos céus, particularmente de São Miguel, comandante dos exércitos de Deus. O anjo lhe trazia o convite de se unir às suas forças mediante duas realizações terrenas: a construção de uma igreja e uma távola onde todos os homens seriam iguais.

Galgano, fiel devoto, levou o sonho a sério, porém não sabia por onde começar. No retorno de sua viagem, eis que acontece algo intrigante. Seu cavalo estagnou em uma colina. Fez de tudo para que animal voltasse a sua tradicional locomoção, todavia de nada adiantou. Ele encarou aquilo como uma mensagem divina. Seria ali que ergueria sua igreja: Montesiepi.


Após o fim da construção, o cavaleiro notou que faltava um detalhe importantíssimo, que dá santidade a qualquer paróquia. O que ele fez? Pegou sua espada, companheira fiel, e cravou na rocha, de modo que o gume e a base formassem uma cruz. Seu legado? Excalibur.


Galgano viveria como um eremita pelo resto dos seus dias. Dizem histórias passadas ao longo das gerações que morreu junto de sua espada, como se esperasse um portal para sua entrada nos domínios de Deus, após o cumprimento de sua promessa. Posteriormente, seria beatificado pela Igreja Católica, sendo conhecido até hoje, como San Galgano Guidotti.

Meus comentários: seria muita pretensão minha afirmar com todas as letras que Galgano é o verdadeiro Rei Arthur. Haveria muitas inconsistências, tais quais a própria região onde supostamente a lenda se passa. O Rei Bretão teria governado a Inglaterra e territórios anexos, não a Itália. Alguns ainda afirmam que o santo seria a inspiração de Galahad, o mais puro dos cavaleiros da távola redonda. A lenda me chama a atenção pois sou um eterno pesquisador de minhas origens, de onde vim e para onde vou e, curiosamente, eu, Gabriel Guidotti, carrego o mesmo sobrenome do cavaleiro, mesmo sem qualquer prova de linha ascendente.

Você deve acreditar no que quiser, mas que é interessante pensar que a existência do primeiro rei inglês foi baseada em uma história real, ah isso é!

FUIIIIIIIIIIIII

terça-feira, 7 de junho de 2011

[IMAGEM DO DIA] - O ATAQUE DOS MELÕES


Autoexplicativo. Inveja? Para quem não sabe, duas das mulheres mais bonitas da história: Sophia Loren e Marilyn Monroe, respectivamente.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

EXPLORANDO O DESCONHECIDO

Um amigo me contatou. Queria conversar. Estava com dúvidas, não problemas, dúvidas. Disse que teve o sonho mais intenso da vida. Levantava-se da cama e via que seu corpo lá permanecia, sereno, como um boneco de porcelana esculpido em perfeitos detalhes. O que aconteceu? A alma é um elemento poderoso. Já li livros sobre ciências específicas que tentam provar o peso dela em nosso corpo. Teria sido apenas a alma a se levantar, desencarnando por instantes, presa por um cordão de ouro? ou um simples sonho? Provalmente a segunda, mas quem está analisando é um homem cético. O que não entendo, desdenho, e lamento ser assim: absoluto.

Se existe vida após a morte, eu só vou saber quando morrer, mas existe vida aonde a morte ocorre, e esta deve ser seguida. Fazemos diversas passagens ao longo da nossa jornada, mas admito, o que meu amigo me mostrou foi, no mínimo, interessante. Diferente de mim, ele não teve a sorte de ter uma mãe que o visse crescer. É injusto ver pessoas boas morrerem e ruins viverem. Quem faz essa seleção natural parece ter feito escolhas ruins. Se fomos feitos a imagem e semelhança Dele, provavelmente Ele deve também cometer muitas falhas. Falhas no sentido da existência. Alguns passam, fazem o bem, mas não deixam legados. Ninguém sabe que existiram. A satisfação pessoal será suficiente? Não sei, só sei que a religião, de fato, salva muitas vidas.

Incrédulo, acompanhei um sessão de médiuns, esperando notícias, informações ou o carinho que apenas os entes que já se foram podem dar. Na verdade, funciona mais como uma terapia, onde os vazios são preenchidos com palavras, providenciando um conforto o qual muitos não dispõem. Diversas pessoas vão para as casas espíritas achando que vão receber uma mensagem de texto: "E aí, filhão!!!!!", "Amigão, futebol no céu semana que vem, você foi convocado!". Tolas, não é bem assim. A doutrina resguarda o mínimo de frequência, pois se você acredita, deve acreditar intensamente.

E o resultado deste acontecimento? Será que conto? Vou lhe atribuir o benefício da dúvida. Espíritos existem? Vivemos para morrer ou morremos para viver? Eu continuo o mesmo, apenas um "cientista" que analisa o extrasensorial, mesmo sem acreditar. Meu amigo? Só ele pode falar por si. E você?

COMENTE!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

GAROTA GELADA

(Baseado em fatos reais).

A garota estava em casa. Seu pijama desleixado refletia seu estado de espírito: stress absoluto. Por que? Nem ela sabia. Estava com aquela sensação de estômago revirado após um rodízio de pizza, mas não havia comido nada. O que estaria acontecendo, por que diabos o cara que havia conhecido na noite anterior não havia ligado? Será que ele não gostou da troca de fluídos? Será que ele era um pitboy safado que apenas usava as mulheres? Será que ela estava com mau hálito? Resolveu esperar.

O melhor nessas horas é comportar a inexorável ação do tempo: ele passa sem a gente perceber. O efeito reverso é sentido se você presta atenção no ponteiro dos segundos do relógio: o tempo não passa nunca. A garota enfrentava este último dilema. Tinha expectativas grandes sobre o que a relação do dia anterior havia gerado. Ela não estava procurando um príncipe encantado, mas o rapaz havia chegado perto disso. O que fazer quando a tensão toma conta? Tentar relaxar ou, no caso de nossa heroína, permanecer dentro do casulo irracional da insegurança. Naquele momento, se pudesse escolher uma habilidade especial, buscaria o poder de ler pensamentos. Queria saber o que se passava na cabeça das pessoas, mesmo que viesse a se magoar.

A noite chega e nada ainda. A mão já estava em carne viva segurando o celular. Pausou seu raciocínio por um momento e chegou a uma conclusão: por que esperar? Se o cara não tem atitude não dá para imaginar que leite saia de pedra. A vida já havia lhe ensinado que confiar nos homens é como navegar o Pacífico em uma barca furada. É claro, procurou nos lugares errados e o próprio destino acabou por cruzar seu caminho com o de pessoas absolutamente diferentes, que apenas lhe decepcionaram em questões relacionadas ao amor. Chega, ela disse, chega! O cara não merecia suas expectativas. A partir daquele momento ela seria diferente. O cavaleiro jedi em si havia sido tomado pelo lado negro da força. Haviam mexido com algo que não admitia ser alvo de brincadeiras: os brios da emoção.

Dali pra frente tudo mudaria. Seria má, trataria as pessoas como elas merecem. A educação excessiva às vezes torna a pessoa "bobinha". Isso também a abandonaria. Todas as células de seu ser brigavam contra o passado, de modo a buscar a construção de um novo horizonte mental, onde seria forte, fria e menos emocional. Estava estressada, bufando de raiva, nenhuma mulher merecia aquilo que o cara havia feito. Precisava de algo para extravasar. Encontrou seu travesseiro. Nunca gostou dele mesmo. Estava preparando os punhos para exalar socos de fúria no objeto, até que seu celular tocou.

- Alô?

- Oi, aqui é o rapaz de ontem, tudo bom?

Seu corpo estagnou. O sangue fervente deu lugar a um pólo norte de nervosismo. Suas mãos geladas tremelicavam ao telefone como se estivesse passando um tornado grau 5 pela área. Em um espasmo do intelecto, apenas falou:

- Oi!!!!!!!! Ainda bem que você ligou! Você estava sumido, como está? Estava com saudades de ti!

O ódio latente havia sido substituído por uma aura serena, tranquila e que havia atingido seu objetivo inicial. A nuvem negra anterior, que passou por sua alma, não era verdadeira, sendo apenas uma máscara para esconder seus reais sentimentos.

Moral da história: Vai tentar entender as mulheres? Esqueça. Não sei se é algo químico, físico ou cerebral: não há uniformidade. E compre telefones. Conforme demonstrado, eles viram Jesus e adquirem a força de transformar as pessoas da água para o vinho. INCRÍVEL!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

QUANTOS LIVROS LER AO ANO?

Eu estava lendo um livro nos últimos dias. Gosto muito de ler. A maioria das referências que posto no blog são o resultado de uma disciplina literária que mantenho desde o meu décimo oitavo aniversário = no mínimo vinte ao ano. Eu tinha um grande professor de português no colégio que indicava a leitura de ao menos nove livros anuais, visando a confecção de um padrão cultural mínimo.  Essa média aumenta ou diminui, obviamente, se formos considerar que muitos lêem os livros do Paulo Coelho. O que se ganha com isso? Apenas um eficiente laxante na hora de evacuar no banheiro. Se duvidar, um papel higiênico de luxo (apenas uma opinião pessoal hehehe, realmente não gosto!).

Não sou nenhum intelectual, mas acredito que tenho um bom nível cultural. Não apenas pelos livros, mas por estar sempre lendo algo, sempre. Sejam notícias de tragédias, sejam as novas contratações da dupla Grenal ou mesmo cultura inútil de ver quem está com quem na Rede Globo. Aliás, é um troca troca incrível. Para a maioria dos artistas não há fila, mas sim uma freeway de espera.

Fazendo um simples cálculo matemático, acho interessante a absorção de ao menos doze livros ao ano. Extremamente plausível, afinal, são doze meses, trinta dias para vencer algumas dezenas de páginas. E quem sabe ainda sobra um tempinho para digerir o aprendizado e pescar mais alguma coisa na internet, que é o que faço quando as histórias se baseiam em fatos reais.

O que não pode acontecer é a não leitura. Muita informação que é passada nos dias atuais é vacilante, excessivamente dinâmica e não prospera na mente. Daí não se tira conhecimento. Ou você considera as hashtags do Twitter? As mensagens pessoais nas redes sociais? Nada disso conta. Não se você quiser manter um padrão de linguagem, escrita, etc. E isso é fundamental hoje em dia, em qualquer profissão.

Ler é fundamental. Dá pra fugir da realidade e entretém. Portanto...

LEIA, LEIA MUITO! E PARTILHE COM O BLOG!