sexta-feira, 17 de junho de 2011

USS ARIZONA

Na onda de sucesso que o Blog tem feito sobre naufrágios, hoje mais um. Se você quiser comprar um submarino e dar uma viajada pelo oceano Pacífico, vai encontrar um espetáculo de metal destroçado, resultante das terríveis batalhas entre Japão e Estados Unidos na segunda grande guerra. Mas neste embate, houve um confronto que se tornou um dos mais céleres. Aquele que foi taxado na época, pelo então presidente Franklin Delano Rooselvelt, como o "dia da Infâmia" na história da humanidade: Pearl Harbor.

Na manhã de  7 de dezembro de 1941, cerca de 300 aviões japoneses invadiram o Havaí para o ataque que lançaria os EUA na guerra e mudaria os rumos da história mundial. O alvo, a maior frota de navios que o planeta já havia visto. Os habitantes de Pearl Harbor acordaram para vivenciar um dia de sangue e um dos grandes atentados que os norte americanos viriam a sofrer na era contemporânea, que posteriormente seria completado pelo World Trade Center.

O resultado? Extrema vitória do japas. A frota americana inteira destruída, diversas perdas civis, e o abatimento de apenas 25 aviões japoneses. 25 de 300... dá para chamar tal plano de absoluto sucesso.

Quase 70 anos depois, a região do ataque ainda atrai as atenções e desenvolve grande potencial turístico. Mais impressionante é que, na curta profundidade da baía, um dos encouraçados se negou a afundar totalmente, protagonizando uma imagem bela e triste ao mesmo tempo. Trata-se do USS Arizona, o maior navio da frota, inapelavelmente abatido por uma chuva de torpedos. O gigante está adormecido, mas ainda faz questão de demonstrar sua imponência.







Acima do navio foi erguido um memorial em homenagem as vítimas. Até hoje compartimentos exalam filetes de óleo, nada que não seja controlado. 

Mesmo semanas após o ataque, ainda ouviam-se batidas advindas do interior do navio. Pela profundidade e falta de tecnologia, os marinheiros jamais puderam ser resgatados. Considere-se que havia forte blindagem, ou seja, não era só levar qualquer martelinho para quebrar o metal. Muito triste, mas todas as guerras carregam episódios desse tipo. Guerrear foi uma síndrome dos anjos na batalha do céu, legado herdado pelos homens.

Era isso por hoje! FUIIIIIIIIIIII

Um comentário:

Anônimo disse...

Pearl Harbor...que covardia! 2.403 soldados militares Estado-Unidenses e 68 civis mortos. O Encouraçado Arizona ( USS Arizona) explodiu matando 1.000 pessoas.O Encouraçado Oklahoma emborcou, ficando apenas uma parte do casco a mostra. O Encouraçado California afundou. O encouraçado Nevada encalhou.E assim vai se contabilizando o que ocorreu com cada um dos encouraçados que estavam no porto ou a alguns km dali.É a guerra , enfim. A humanidade sempre foi muito bélica. Nunca houve paz.Essa é a verdade verdadeira.O episódio covarde de Pearl Harbor foi apenas uma amostra do que ainda estava por vir. Luz Maria.