quarta-feira, 31 de agosto de 2011

CHAVES WARS

Eu sempre fui fã do Chaves. Desde pequeno e até mesmo nos dias atuais, sempre dou uma olhada quando posso. Piadas simples e de bom gosto que incrivelmente fazem rir. O garoto da vila tinha tudo para ser um fracasso, mas foi um sucesso, pois dinheiro não sobrepôs a qualidade de excelentes produtores e atuações privilegiadas que fizeram os personagens entrarem para história.

No seriado, é muito simples ver o Chaves brincando com o Kiko e a Chiquinha. Dona Florinda chamando seu filho de "Tesouro". A realidade? Bem, é bastante diferente. Sempre tive curiosidade de saber o que aconteceu nos bastidores aonde o elenco começou a lutar uma guerra verbal que está durando mais de 30 anos. Pus mãos à obra! Os personagens são imortais, mas os atores não, era hora de compreender o que egos exaltados fizeram a turma mais querida das Américas. Pesquisando um pouquinho pela internet, achei a seguinte reportagem (que se revela mais como um depoimento pessoal) assinada pelo jornalista Marcelo López Masia:

"Em 1994, quando Carlos Villagrán (Kiko) esteve em Rosario, fomos almoçar e, durante o almoço, ele começou a contar que quando tinha 27 anos, no começo do programa, saía com uma colega, e se tratava de Florinda Meza (Dona Florinda). Em uma de suas reuniões de grupo, ele contou muitas intimidades a seus companheiros de elenco (entre os quais não estava Bolaños, a quem Villagrán chama "Roberto Bola de Años", porque sempre comia separado do grupo) e isso chegou aos ouvidos de Florinda, que decidiu por fim à relação".

Quando a Florinda Meza começou a sair com o Chespirito (Chaves), a vida de Carlos Villagrán transformou-se em um inferno terreno, começando pelo fato de ter sido retirado do programa sob a justificativa de que seu personagem fora morar com a "madrinha rica". Considerando que a história do jornalista seja verdadeira, um dos grandes mitos do seriado foi quebrado. Até então, a versão oficial dizia que a briga iniciou-se pela disputa na justiça pelos direitos de imagem sobre o garoto mimado. Chespirito dizia que a criação fora sua; Villagrán, de outra via, dizia que todos os trejeitos do personagem, inclusive as bochechas, expressões, etc, eram de sua autoria. Resultado? No nome do primeiro está registrado o Quico; no nome do segundo está registrado o Kiko. Sacou a gritante diferença?

Bolaños ainda faria o mesmo com Maria Antonieta de Las Neves, a Chiquinha, arguindo a propriedade criativa da menina sardenta. Porém esta, antecipando a possibilidade, já havia garantido os "all rights reserved" em seu nome nos anos 90. Em 2002, Maria Antonieta teve um ataque cardíaco quando soube que Chespirito abrira um novo processo para reivindicar a personagem.

MORAL DA HISTÓRIA: mulheres fazem homens brigarem. Helena de Tróia, Dona Florinda e a loira maravilhosa da academia ontem: a cachorrada toda olhando para suas sinuosas curvas e o namorado, creio que por volta de vinte anos mais velho, quase comendo o fígado de todos! HOHOOHOHOH

FUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

2 comentários:

Anônimo disse...

Apesar brigas, que a gente sabe que existem em todos os setores, sendo um exemplo ,esses atores globais que às vêzes têm que contracenar como par romântico e por trás dos bastidores ,se odeiam.Bem , apesar das brigas e do que você falou de nós..."POBRES MULHERES PODEROSAS!,que nada fazemos!" .Apesar de tudo,o seriado Chaves povoou a minha infância e até hoje assisto,quando quero relaxar.
Selena. Sempre seguindo.

Anônimo disse...

PERFEITO!! - MORAL DA HISTÓRIA: mulheres fazem homens brigarem.
Cris do escort!