segunda-feira, 14 de novembro de 2011

KYOTO VAI RUIR

O protocolo de Kyoto é um tratado internacional que regula compromissos efetivos para a redução da emissão de gases que causam o efeito estufa na atmosfera. Apesar de aberto para assinaturas em 1998 só foi ratificado para vigorar em 2005, após a inclusão do fortíssimo pólo industrial russo. O documento acabou sendo assinado por 141 nações, mas apenas 30 se submeteram a objetivos específicos. O Brasil, por exemplo, por ser considerado um país em desenvolvimento, não teve que se comprometer a metas.

O principal aspecto do tratado é o preceito da responsabilidade comum, porém diferenciada, ou seja, isso significa que todos os países possuem uma mínima importância no que toca a preservação do ambiente, todavia aos mais industrializados fora atribuída a obrigação mais relevante sobre redução das emissões. Foi aí que começaram os problemas. Aos signatários mais poderosos ficou uma responsabilidade que não desejavam pagar, pois, atualmente, reduzir a carga industrial para preservar o ambiente significa perder dinheiro. Usando como base este argumento, os Estados Unidos, responsáveis por cerca de 36% da emissão global de dióxido de carbono na atmosfera, não assinaram o tratado, indicando não haver razão na exclusão dos países em desenvolvimento. Tais países, em réplica, arguiram que as medidas do protocolo poderiam gerar a estagnação de suas economias, já prejudicadas historicamente pelas antigas metrópoles.

Resumidamente, é o que consta no meu Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado ao final de 2010. Meu vitorioso 10 foi suficiente para mim, mas não para conscientizar o egoísmo financeiro dos países. Creio que os argumentos de, sintaticamente, "não querer perder dinheiro" são justos. Este é o objetivo das nações, prover recursos aos seus contribuintes. Mas não é de uma guerra de mercado que estamos discutindo, é do mundo. Falo de, agora, 7 bilhões de vidas que podem ficar ricas, mas dentro de um planeta devastado pelas alterações naturais provocadas pelo homem. Do que adiantará o desenvolvimento?

A situação é alarmante. Decidi postar sobre esta questão visto a notícia do site Terra: "Se a gente falhar com Kyoto, será uma catástrofe", diz ambientalista" que indica estar chegando 2012, a data limite do documento e nada vem sendo avaliado para sua renovação. A cada novo encontro para a discussão do tema, os ambientalistas e participantes de ONG´s saem cada vez mais decepcionados, pois verificam não haver conscientização em relação a dramaticidade dos dados e das previsões.

Os meros 2 graus que deveriam ter sido evitados  ficarão pelo caminho. Tal dado é considerado o limite do aquecimento global. O Protocolo é falho, mas é o que temos. Ao final do ano que vem apenas se verificará o controle de metas, mas não há qualquer órgão que cobrará explicações aos que não atingiram o percentual mínimo. E sabe qual é o resultado disso tudo? O assunto do meu TCC: "refugiados ambientais". Deles falarei na quarta. A única coisa que posso adiantar é que são as primeiras vítimas. Primeiro refugiados, depois, quem sabe, a humanidade inteira?

Ah, e aqui o link da notícia para quem se interessar: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5466613-EI238,00-Se+a+gente+falhar+com+Kyoto+sera+uma+catastrofe+diz+ambientalista.html

FUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

2 comentários:

Luz Maria disse...

O problema de tudo isso ,é que :"Assim Caminha A Humanidade"!. Não,não é apenas título de filme (lindo filme!).É a mais pura verdade. Foi assim que muitas civilizações pereceram (os Mais ,por ex. ). O próprio homem é o responsável por ,em primeiro lugar, provocar o Desastre ambiental e depois não querer,assim como os E.U.A, fazer algo para ajudar a reverter a situação em nome de um pretenso "prejuízo no desenvolvimento",e é verdade,eles não deixam de ter razão,pois se forem fazer tudo o que é preciso para combater a Emissão dos Gases,eles ,com certeza terão muito prejuízo. É que Nações ,assim como os E.U.A.,quanto mais tem ,mais querem, são colonialistas e capitalistas e vão vivendo assim,num redemoinho que NÃO TEM MAIS VOLTA,infelizmente.Então...vivamos o presente,com gases poluídos ,ou sem gases,com sujeira,lixo atômico,com tudo o que temos DIREITO.

Luz disse...

Correção: a Civilização a qual me referi são : OS MAIAS e não os "Mais".