segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A CORÇA DOS PÉS DE BRONZE

Segundo o livro "As mitologias roubadas. Os 12 trabalhos", de Giancarlo C. Borges:

"A Corça vivia no Monte Cerineu, entre a Arcádia e a Argólida. Pertencia à deusa Ártemis, ou Diana, a quem fora consagrada como dádiva. Quando recebeu esta nova incumbência do rei Euristeu, Hércules ficara perplexo, Dessa vez, não se tratava de enfrentar nenhum mostro perigoso. Mas o trabalho era ainda mais difícil, pois este animal, além de incansável, podia correr com assombrosa rapidez. Seus chifres de ouro e cascos de bronze não se desgastavam nunca, e o herói deveria capturá-la viva. Caçou-a durante um ano cruzando terras brumosas e frias, vencendo campos verdejantes e ensolarados, e atravessando grande parte da Grécia antiga. No entanto, somente de vez em quando conseguia avistar o animal, e de longe. Assim que começava a perseguí-la, a Corça escapava a toda velocidade. Todavia, Hércules não desistia nunca, e continuava sua perseguição na neve, nos bosques de bétulas e por grandes descampados. Conta a lenda que ele permaneceu no seu encalço até o país dos Hiperbóreos, que ficava nos confins do mundo até então conhecido. Quando ele atravessava um rio na Arcádia, ele conseguiu finalmente alcançar o animal e prendeu-o em uma rede, sem machucá-lo. No retorno a Micenas, encontrou-se com Diana e Apolo, e percebeu que os deuses estavam irados com a captura da Corça. Hércules mostrou-lhes que o animal estava vivo e bem, e argumentou que tinha agido por ordem de Euristeu, apaziguando a ira dos deuses irmãos".


----------------------------------------------------------------------------------


Apenas para situar: Hércules, enfeitiçado por sua madastra Hera, assassinou sua mulher e filhos. Punindo-se intensamente, recebeu, do rei de Micenas, Euristeu, a proposta de expiação por seu delito, mediante a realização de doze trabalhos. Já falei, aqui no blog, de um deles: Hércules e o titã Atlas.


Hoje, por conveniência de minha realidade, posto sobre a Corça dos pés de bronze, outra de suas heroicas conquistas. Durante a semana explico o porquê.

FUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

2 comentários:

Selena Linhares disse...

Uma postagem difícil ,mas que mostra a tenacidade coragem e obediência (a meu ver,é claro). Hércules não discutiu a ordem dada por Euristeu,cumpriu-a ,mesmo achando-a estranha,pois devia a ele, ao rei Euristeu , a expiação de seu delito,o perdão de seu delito. Parabéns!

Gabriel disse...

É uma boa interpretação, Selena. Na verdade, Hércules não tinha escolha, pois desejava ardentemente esquecer o assassinato de sua mulher e filhos.Qualquer que fosse a missão dada, era missão cumprida. Porém, ao final de tudo, nem Euristeu foi capaz de acreditar que o herói havia conseguido tais feitos. E assim, bem, digamos que o rei cometeu UM GRANDE erro ao duvidar do filho de Zeus hehehe

abraço!