quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

FATALIDADE

Venho hoje ao Gato Gordo comunicar uma notícia triste. Cheguei da academia perto das quatorze horas e fui informado de um incêndio ocorrido na Avenida Farrapos, em Porto Alegre. Tragédias estão ficando tão comuns, tão banais, que passamos despercebidos pelas vítimas. São anônimos, mas também estrelas de suas próprias famílias. É por essa razão que não damos atenção para este tipo de acontecimento, até descobrirmos que uma pessoa conhecida morreu.

Desde sempre achava que o Dr. Boaventura havia feito meu parto. Ele, na maternidade, chegou para minha mãe e disse: "Ana, já fizemos tudo o que a medicina nos permite para salvar teu filho. Agora ele está nas mãos de Deus". E eu, em um sopro de divindade, ressuscitei em vida e pude fornecer a vocês o maior acontecimento da humanidade desde a Segunda Guerra Mundial: a criação do Gato Gordo. Mas estava errado. Não foi o Dr. Boaventura, um pediatra; foi a obstetra Francisca Canovas Fernandes que realizou não só o meu parto, mas também o de meus irmãos, lá se vão longos anos atrás. Não conheci Francisca, nem tenho uma foto dela. Só posso dizer, por informações colhidas, que foi uma pessoa de fibra, uma grande médica e uma mulher lutadora. Infelizmente, ela morreu neste incêndio da Avenida Farrapos, dentro de seu apartamento.

Aqui disponibilizo o link na notícia no site G1, para quem quiser ver. De qualquer modo, utilizo-me da postagem de hoje como agradecimento a mulher que me trouxe ao mundo e para corrigir essa injustiça histórica de não lhe dar o crédito devido. Aproveito também para reiterar o que já disse outras vezes no blog. "O importante não é saber como morreu, mas sim como viveu". E viveu bem.

Francisca, vai com Deus!

.

7 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei triste com a notícia. Embora eu não tivesse nenhum vínculo afetivo ou mesmo de parentesco com a mesma, tenho certeza que ela foi uma grande médica e assim como o blogueiro, foi ela quem fez o parto que mne trouxe ao mundo. Que se vá em paz a Dra e que fique a lição de sempre ter vivido uma vida feliz, exercendo a profissão que escolheu e da qual tanto gostava.
by loko

Anônimo disse...

Dra. Francisca?!?!? Ela também fêz o meu parto. Minha mãe sempre me levava junto com ela,em suas consultas,só para que eu desse um olá para a "Chiquinha",como ela falava. Pessoa boa,médica maravilhosa,personalidade forte,positiva.
Um beijo em seu Coração Chiquinha. Que Deus a receba e lhe dê tudo e muito mais do que você distribuiu aqui para nós.

Rodrigo disse...

Estarrecido com a notícia..

Também me incluo nas milhares de pessoas que foram trazidas ao mundo pelas hábeis mãos da Dra. Francisca.

Não tenho, contudo, sua imagem em minha mente, mas manifesto aqui o agradecimento e o respeito a figura da profissional.

Que vá com deus, pois, tenho certeza, que em paz já está!!!

Luz Maria Velloso disse...

Dra.Francisca , Francisca apenas, Xiquinha , Xica. Mulher e Médica. Uma combinação que para muitas parece que não dará certo,pelo menos na época da Dra.,na época em que ela se formou , 1956. Eu tinha 1 ano de idade.
Dra.,como disse o Blogueiro,não importa como morreu,mas sim como viveu e viveu para a Profissão ( Médica extraordinária)e para a família...principalmente para os filhos que ela idolatrava : O Alessandro,a Cristiana,o Júlio e a linda Juliana. Netos...já tinha,bisnetos,já tinha. Ela já tinha tudo,pelo menos tudo o que ela achava necessário. Uma vêz ela me disse: --Sabe Luz,os meus filhos vêm em primeiro,segundo,terceiro,quarto...e quinquagésimo lugar. Ela simplesmente os idolatrava e fazia tudo por eles. E fazia também,tudo por nós suas pacientes. Na porta do Consultório,uma placa bem "cafona": " Médica de Senhoras". Quando entrávamos no consultório,não tínhamos hora para sair.
Eu às vêzes dizia: --Dra.,acho que devo ir,seu Consultório está cheio.
Ela retrucava: --tu já me perguntaste tudo o que queria? Já tirou todas as tuas dúvidas ?,se já...então está na hora de ires.
Ah, Chiquinha! Se eu pudesse adivinhar...voltaria dez dias atrás e iria consultar contigo,para batermos aquele "papo cabeça",que estávamos devendo ,eu para ti e tu para mim. Há se eu pudesse...!Agora não dá mais. Fica em mim aquele gôsto de despedida pela metade. Não tive a sorte que minha mãe teve ,de falar contigo na véspera da tragédia. E você vivia me chamando,lembra? dava o recado para a minha mãe me alertar, de que eu precisava fazer os exames de rotina.
Chiquinha,fica aqui atavés dêste Blog ,que pertence a uma pessoa que você trouxe ao mundo, o meu muito obrigado por toda a força em todos os momentos,por todos os belos conselhos de como "saber viver!"Pela sabedoria e eficiência na hora "H",por tirar minhas dôres,por não deixar eu tomar remédios ,quando tive enjôos nas gravidêz. Obrigado pelo Índice de Apgar 10 dos meus filhos. Obrigado pelo ser humano maravilhoso que eu tive a bênção de conhecer e de ter em minha vida.
Ah...! e Obrigado por todos os presentes que você me mandava na época do Natal. Luz.

Anônimo disse...

Comentário com muito sentimento,este aí de cima da Luz Velloso. Fiquei triste ao lê-lo. Vi a notícia da morte dela no noticiário da TV. Foi horrível. O filho se salvou com a namorada. Mas ela ,segundo os noticiários ,foi jogada da cozinha para o Hall de entrada do apt.Se queimou toda,100% do corpo.
Beijos Dra. Francisca,você deve ter sido muito importante mesmo,para as pessoas que lhe conheceram.
E para o pessoal do Blog,os seguidores,vai aqui um aviso importante: evitem esses acidentes domésticos,tenham sempre muita atenção ao lidar com fogo,com coisas elétricas. Vamos nos cuidar pessoal!

JULIANA CANOVAS disse...

obrigada pelas palavras!!!eu a idolatrava e ainda a idolatro! tentarei sempre seguir seu passos..."uma lição de vida
JULIANA CANOVAS

Ana disse...

Juliana...Nana. Quando tive meu primeiro filho, o André, a Dra. Francisca estava esperando você e estava com o braço quebrado,não me lembro se era o direito ou o esquerdo. Eu entrei em pânico e perguntei a ela se ela iria me atender ,ou se iria colocar uma substituta. Ela me olhou e com aquela voz firme que ela tinha quando queria dizer algo muito sério falou: Ana ,você esqueceu que eu tenho dois braços?. Aí,eu fiquei aliviada,pois ela com um braço apenas ,sem os dois braços ,de qualquer forma,eu queria que fosse ela quem fizesse o meu parto e ela fêz e colocou na palma de minha mão ( pois precisei fazer anestesia geral ),colocou um esparadrapo com os seguintes dizêres: "Ana,o André é perfeito. Pesa 4,050 kg". Eu tenho esse esparadrapo até hoje, colado no livro de bebê de meu filho.
Neca,Gu e Julinho,lembro de uma passagem em que eu estava na cama de exame,claro,sendo examinada e o Consultório era em uma casa ,pois no começo, ela sempre teve o Consultório em uma casa alugada,que era para ficar perto de vocês. Bem,aí ,eu estava na cama de exames,naquela posição "nada ortodoxa" e vocês entraram na sala do consultório( eram pequenos)correndo,um querendo pegar o outro e passaram por baixo da cama de exames aonde eu estava e eu, só olhando.A Dra.,com toda a calma, me pediu para esperar um pouco , foi atrás ,deu uns tapas em vocês na outra sala e depois voltou como se nada tivesse acontecido. Foi incrível, eu lembro que tive um acesso de riso e ela ,no fim, também. Não tinha como não rir daquelas peraltices.
Ela era incrível e vocês também. Vocês eram muito engraçadinhos , era todos gordinhos,menos o Julinho.
Um beijo para vocês todos e continuem assim,unidos,mesmo que haja problemas,eles sempre existem,mas a gente tem que aprender a contorná-los. A mãe de vocês foi uma heroína. Ela sempre me dizia ,que para ela o que mais valia a pena no casamento era ela poder ter tido vocês 4.
Um beijo. Aninha ( como ela me chamava)