segunda-feira, 26 de março de 2012

ECO DO PASSADO

A realidade é dura. É muito mais fácil nos enganarmos e cairmos em um mundo de sonhos. Lá não há maldade ou limitação e ganhamos a condição de imperadores do destino. Se formos senhores de nosso tempo, não nos informaram que há muitas atenuantes nesse tortuoso caminho. Ser generoso vira sinal de fraqueza; ser maldoso, sinal de esperteza. Precisei de tudo isso para dizer: Chico Anysio morreu.

A morte do Chico não me causou comoção logo de início. Não, pois não pertenceu a minha geração. Quando me dei conta de suas qualidades como artista, ele começou a cair em um mundo onde o humor analógico não possui vez. Mesmo a Globo o tirou do ar. Justificaram o ato pela condição precária de saúde. É verdade, mas não acredito nisso totalmente. Quando um eco do passado ecoa, ecoa para sempre. Não fico triste, mas lamento a morte de um homem que, em épocas aonde a liberdade não era plena, foi capaz de quebrar com a ordem através da mais pura manifestação humana: um sorriso. Se Chico se foi, os brasileiros perdem, pois deverão ficar com "Pânicos", "CQCs" e "Zorras". Acostumar-se-ão a gostar de ofensas ao vivo, piadas grosseiras com as deficiências das pessoas ou inexplicáveis idiotismos por meio de lacerações irresponsavelmente gravadas. Isso é piada? Faz rir, é claro, mas não sorrir.

Comecei essa postagem de forma indiferente a morte do humorista, porém termino pensativo, pois a risada espontânea e criativa está morrendo. Não quero ser dramático. Saudosismo não leva a nada, apenas prende as pessoas em tempos aonde "as coisas eram melhores". A humanidade evolui, mas seus membros morrem. Eles ficam na história, mas morrem. Não voltam mais. Fica a lembrança. Chico Anysio - assim como outros que já mencionei do blog - sai da vida, mas entra para a imortalidade. Confiram abaixo um de seus shows.


.

3 comentários:

Anônimo disse...

Grande Chico, eu assisti os seus programas e ria muito dos seus personagens, das suas piadas. Não existem novos programas que fazem sorrir como o Chico fazia. Ainda tem o Gordo Jo Soares, que foi um grande humorista também, embora hoje tenha tropeçado na arrogância. Os grandes estão indo, pra ficar apenas aqueles "humoristas" ofensivos, com humor duvidoso. O Didi, o Jô (antigo), o Chaves. Esses produziram algo que ficará para a história.

Luz Velloso disse...

Sou da época do humor puro e criativo do Chico Anysio ,sou da época em que não desgrudávamos da TV, na hora que ia começar ,ou o Chico Total ,ou o Chico City, ou o Chico Anysio Show , ou a Escolinha do Professor Raimundo. Sou de todas as épocas em que passaran-se esses programas e não perdia um.Foram 209 personagens,cada um com personalidade própria e ele era um cara simples e até eu me arrisco a dizer,quando não estava em cena,ele era triste e muito sério.Fiquei bastante triste com essa perda,porque eu acho que existem sêres iluminados , que se tornam tão importantes para um número muito grande de pessoas , que elas não deveriam sair de cena nunca,deveriam ser imortais. Mas isso é sonho,é como falou o nosso Blogueiro: "a vida é dura e às vêzes seria bom nos enganarmos em um mundo de sonhos", sim...lógico ,para não sofrermos muito.
Mas por ter assistido quase todos os programas de Humor puro e extremamente profissional do Chico posso dizer que em todos esses momentos ,esqueci da realidade e entrei nesse mundo maravilhoso do sonho , onde só existe a alegria e oriso solto e sincero.
O Chico ,me tornou mais feliz, com certeza...

Maria Quitéria/Quita disse...

Quem teve a felicidade de ver Chico Anysio todos os dia na TV,apresentando seus 209 personagens,com certeza,é agora uma pessoa mais feliz.
Alberto Roberto-- "não garavo , eu sou um símbalo sescual".
Bozó-- "eu-eu trabalho na Grobo,tá ,tá legal?
Justo veríssimo-- " tenho horror a pobre...quero que pobre se exploda!"
Nazareno--"calada! senta aí...!" "Tá com pena? Então leva para casa!"

Entre outros e muitos outros mais.
Grande Chico Anysio...seu legado ficará para sempre e jamais será preenchido por alguém.