sexta-feira, 13 de abril de 2012

YAHOO E O TITANIC

O Yahoo causou rebuliço, nos últimos dias, ao revelar supostos mitos que o cinema criou frente ao Titanic. Confiram no site. Bem, o que dizer sobre isso? O texto está extremamente confuso, mas vamos lá para a parte que nos interessa, pois acho que muita gente foi má influenciada:

1) Diz-se que a companhia White Star anunciava a embarcação como “inafundável”. Em uma das cenas do filme “Titanic” (do cineasta James Cameron), a mãe da heroína Rose observa o navio no porto, antes da partida, e comenta: “Então este é o navio que dizem que não afunda”.

Segundo o cientista Richard Howells, do Kings College, de Londres, na Inglaterra, a companhia nunca afirmou que o navio era “inafundável”. O termo começou a ser usado pela imprensa e indústria do cinema após o acidente.

Minha visão: Independente do filme de 1997, eu assistia e lia outras fontes nos anos 90, e até os dias atuais. Não sei quem é esse autor, mas afirmo que eu possuía um VHS - documentário - sobre o Titanic, que apresentava o vídeo de abertura do navio sob os ditames: "Not even god can sink this ship". Tal vídeo fora produzido pela White Star. Sim, O TRANSATLÂNTICO FOI CONCEBIDO COMO INAFUNDÁVEL.

Enquanto não acho o vídeo na internet, fiquem com um recorte de jornal de P. A. S. Franklin, vice-presidente da "International Mercatile Marine", que confirma sua fé no "unsinkable" Titanic:


E ainda posto o registro de uma peça publicitária da White Star Line, datada de 1911, que falava dos "gêmeos", Olympic e Titanic:


2) Joseph Bruce Ismay, presidente da White Star, foi acusado de mandar acelerar o navio e escapar da embarcação no primeiro barco salva-vidas disponível, deixando para trás mulheres e crianças. Ele foi execrado em Nova York e aposentou-se falido em 1913.

Lord Mersey, que comandou o inquérito britânico em 1912, chegou à conclusão que Ismay ajudou vários passageiros antes de entrar no barco salva-vidas. “Se ele não tivesse se salvado, salvaria apenas mais uma vida”, pontuou Mersey em relatório.


Minha visão: ele foi temerário com relação ao aumento da velocidade do Titanic. Isso deveria bastar. O Yahoo quer me fazer acreditar que Ismay foi um herói por ter ajudado algumas pessoas. E as outras todas que ele matou por não carregar botes suficientes a bordo? Isso é assunto da direção. Aliás, essa questão dos botes reforça a tese do inafundável.

3) O comandante do navio, capitão Smith, foi retratado como herói no cinema e ainda ganhou estátuas e cartões postais. Porém, ele é apontado por especialistas como o principal culpado pelas falhas na estrutura de comando a bordo. Smith não deu atenção aos alertas contra gelo e iceberg nem reduziu a velocidade da embarcação quando já se sabia da presença de gelo na rota do navio.

Minha visão: Aí, eu concordo em tudo. Smith não era um capitão habilidoso - inúmeros incidentes na carreira, mas conhecia as leis de bordo. Também vejo erros em seu tratamento como herói. Apesar disso, foi um homem de honra, pois permaneceu no navio até o fim.

4) O filme “Titanic” mostra que os passageiros da terceira classe foram forçados a ficar longe do deck e impedidos de alcançar os barcos salva-vidas. Richard Howells, do Kings College de Londres, afirma que não existe evidências para confirmar tal história.

Evidências apontam que os portões estavam fechados na noite da tragédia e que só depois de a maioria dos barcos salva-vidas terem partido é que os eles foram abertos. Menos de um terço dos passageiros da terceira classe sobreviveram.


Minha visão: notem os trechos que destaquei. Em um parágrafo o Yahoo diz que não há como comprovar a história dos portões da terceira classe. No outro diz que, de fato, há evidências para acreditar que eles estavam fechados. Qual é a verdade?

--------------------------------------------------------------------------

A história do Titanic sempre vai gerar divergências. Convenhamos não há ninguém vivo que tenha presenciado a tragédia, ou seja, os estudos se baseiam em testemunhos e probabilidades. Sim, muito do que afere ao navio é completado pela imaginação, mas não há vergonha nenhuma nisso. Nunca chegaremos a um consenso sobre os reais culpados e sempre haverá a discussão. Só não aceito donos da verdade. O Yahoo publicou, de forma extremamente confusa, os dizeres de meia dúzia de autores como se fossem a real e definitiva história. Aposto que há muitos outros que discordam dessa versão.

Um comentário:

Luz Maria Velloso disse...

Não sou historiadora,sei dos fatos que me são apresentados e do que vejo em televisão e cinema.Nessa semana,que é a do Titanic,há uma explosão de informações.O que acho é que,o Navio Inafundável...afundou e muito rápido , por conta de ter batido em um iceberg e mais alguma coisa,segundo um documentário que assisti ontem. Sei que mais de 1.500 pessoas ,morreram.Acho que o Capitão foi um herói sim,sem entrar em detalhes sobre sua atuação,só pelo fato dele ter permanecido no navio e afundado com ele( só pessoas muito corajosas fazem isso,na hora do desespero).Se a terceira classe foi prejudicada? com certeza foi,pois eram imigrantes,pessoas de "terceira classe",aí vem aquilo que penso: na hora de morrer...tanto faz se você tem milhões...ou centavos,é tudo igual.
O dono das lojas Macy's Isidor Straus e sua esposa, Ida Straus,morreram da mesma forma que o "Jack",aqui, de uma forma irônica,representando toda a terceira classe,os menos afortunados,ou melhor,sem fortuna nenhuma.